Relato de parto – Henrique

Meu bb nasceu pélvico de PN – Relato de Parto Henrique

Meu bb ficou sentadinho durante toda a gravidez. Apesar da pressão que sofri por toda a família, eu queria um PN e sabia que era possível. Estava com uma equipe que confiava muito.

Combinei com o GO que entraria em TP e que faríamos o possível para que o Henrique nascesse da forma mais natural possível, contanto que não houvesse risco algum para ele ou para mim.

Foi assim que aconteceu….

No dia 24 de agosto (domingo) meu marido e eu fizemos um churrasco em casa e de noite senti uma contração bem forte. Todos foram embora e nós fomos dormir. No meio da noite acordei com a certeza de que meu bb estava para chegar! Não consegui dormir o resto da noite.

Na manhã do dia seguinte, quando o Rodrigo (meu marido) acordou avisei que estava chegando a hora. Ele me perguntou se devia ir trabalhar ou ficar comigo. Falei que ele poderia ir sem problemas, mas que ficasse com o telefone por perto que eu ligaria.

Foi o que aconteceu… Liguei para a escola que ele trabalha e ele voltou correndo para casa (desde o começo da gravidez ele queria que acontecesse isso…heheh).

Liguei para a Pati (Doula que estava me acompanhando) e avisei que estava entrando em trabalho de parto. Avisei também meu médico. As contrações começaram às 6h e o tampão começou a sair um pouco depois.

As 8h 30min. o Rodrigo chegou em casa e nós ficamos sentados no sofá assistindo desenho animado e marcando o tempo das contrações.

As 9h 30 a Pati chegou na minha casa também. Fomos arrumar as coisas para levar para o hospital e comer.

O Rodrigo estava tão nervoso que comeu um miojo essa hora da manhã!!!
às 11h as contrações estavam com intervalo de 3/4min. e duração de 1 min.

Às 11h30. saímos para ir para o hospital. As contrações no carro foram muuuuuito doidas!

Chegando lá encontramos a Felicitas (outra doula que acompanhou o parto). O Dr. Carlos já estava nos esperando. Ele fez o exame e viu que eu estava com 2 cm. de dilatação. 

Enquanto estávamos no corredor do Hospital, meu pai ligou e perguntou onde eu estava. Eu não queria que ninguém ficasse sabendo que eu tinha ido para o Hospital antes de ser examinada e estar internada, mas não deu pra esconder, pois enquanto eu falava com ele eu tive mais uma contração.

Fomos para uma salinha nos vestir para entrar no centro obstétrico e enquanto isso o Rodrigo foi dar entrada na papelada do internamento.

Entramos na suíte de parto e eu tentei deitar para dormir um pouco, mas não deu muito certo… as contrações deitada eram muito doidas!

Fui para o chuveiro e fiquei lá por bastante tempo. Nisso as contrações deram uma parada.

2 Horas depois o Rodrigo chegou no quarto e tudo ficou bem melhor. A presença dele me ajudou muito… passei algum tempo entre chuveiradas, passeios pelo corredor, massagens, exercícios….

Eu não conseguia ficar na maca de jeito nenhum, então colocamos os lençóis no chão e eu e o Rodrigo ficamos ali.

Com o tempo a contrações foram ficando mais doidas.

Quando eu estava com 8 de dilatação o médico examinou e disse que nas ultimas horas a dilatação não estava progredindo e que se na próxima hora a evolução não fosse boa seria mais indicado uma cesárea!

Nisso a Pati e Felicitas me colocaram para “malhar”… passeamos pelo corredor, andei de patinho (isso era horrível) e dancei muito! Parecia uma louca dançando “na boquinha da garrafa”… Mas isso tudo ajudou!

De hora em hora o Dr. Carlos entrava na sala. Cada vez que ele entrava eu sentia muita raiva… Não queria ele ali! Quando ele chegava eu tinha que deitar na bendita maca para o exame de toque (que cada vez era mais doido).

De tempo em tempo uma enfermeira aparecia na janela para espiar! E cada vez que eu via uma ou que elas vinham no quarto atrapalhar, eu ficava louca da vida e pedia que saissem!

Quando estava com quase 10 de dilatação, o médico rompeu a bolsa. As contrações ficaram mais doidas…

Eu já sentia muita vontade de fazer força, mas não conseguia pois estava super cansada.

Já estava com a dilatação completa, mas com muita dor e pouca força. Então pedi analgesia. A picada doeu muuuuito e depois senti muita coceira! Coçava tudo até o céu da boca. Minha idéia inicial era não tomar anestesia, mas acredito que fiz a escolha certa, pois depois de tomar eu consegui ajudar mais o meu bb a nascer. Foi necessário fazer uma episio. Depois da episio fiz umas 3 ou 4 forças e o Henrique começou a aparecer . Eu estava deitada e o Rodrigo estava de um lado e a Pati de outro segurando um espelho para que eu pudesse enxergar o Henrique saindo.

Deu para ver a bundinha dele aparecendo. Depois que saiu o corpinho o médico fez uma manobra para tirar a cabecinha. 

Logo que ele nasceu o Rodrigo cortou o cordão umbilical e o meu filho veio para o meu colo. O pediatra examinou o Henrique ali mesmo e ele logo começou a mamar. Ele pegou o seio como se já fizesse isso a muito tempo!

Ficamos ali por uma hora! O Henrique, o Rodrigo e Eu.

Eu tinha combinado com o pediatra que o Henrique não iria para o berçário e não sofreria os procedimentos de rotina se não tivesse real necessidade. E foi assim que aconteceu. Ele ficou o tempo todo comigo e com o Rodrigo.

Depois dessa hora o Rodrigo levou o bb para o berçário para colocar fralda e me levaram para uma “sala” de recuperação (na verdade era um corredor e eu não tinha nada para recuperar, mas tudo bem…) e me deixaram lá sozinha por um bom tempo.

Me pareceu uma espécie de castigo que me deixaram por não cumprir as regras do hospital. Afinal… outras mulheres chegavam e saiam e eu continuava lá!
Precisei dar um pequeno piti, um escândalo para me tirarem de lá.

Quando uma enfermeira de me levou para fora do centro obstétrico vi o Rodrigo do lado de fora e, para minha surpresa, sem o Henrique no colo! Fiquei maluca com ele, mas ele me tranqüilizou quando disse que o nosso pequeno já estava no quarto com a família…

Chegando no quarto tinha uma festa armada! Muita gente esperando, o Henrique sendo paparicado…. 

Ahhh já ia esquecendo! A família foi um capitulo a parte nessa história. Eu não queria muita gente, mas quando o Henrique nasceu tinha uma 15 pessoas do lado de fora esperando! Todos desesperados por notícias nossas! Durante o TP, o pessoal que estava lá fora ligava desesperadamente para o telefone do Rodrigo e da Felicitas para saber como estavam as coisas…

O Henrique nasceu às 21h 17min. com 3,270 kg. e 49,5cm.
E COM O BUMBUM VIRADO PARA LUA!!!! 

Curta e compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>