Relato de parto – Patrícia e Alice

Nascimento da Alice

Acordei com  40 semanas e nada aconteceu, 

Yasmin teve febrao a noite toda e minha maior preocupaçao é que ela melhore, Alice pode esperar mais, pois tudo o que quero no momento é Yasmin boa. 

Delirou a manhã toda, febre nao baixou e liguei pra minha mãe vir dar um

banho nela, pois levaria ela junto na minha consulta e aproveitaria levar ela na emergencia.

Demos o banho e graças a Deus a febre melhorou, saimos as 12:30 de casa, passamos pegar o papai no trabalho, almoçamos e fomos pra consulta com dr. Carlos ver se houve um progresso e perguntar sobre novas etapas apos as 40 semanas.

Chegamos, dr sugeriu o descolamento de membrana e depois do toque, que passou de 3 cm pra 5 cm em uma semana, autorizei o descolamento, pois caso desse certo, em 24 horas Alice nasceria. Fiquei preocupada com Yasmin, mas  sabia que Deus estava no comando de tudo e caso fosse a hora da Alice, ela nasceria, com Yasmin doentinha ou nao.

Ah, eu fui sozinha dirigindo sim, com 40 semanas, só com Yasmin e Pedro me acompanhando.

Deixamos papai no trabalho e decidimos nao levar ela na emergencia, ia tentar marcar um pediatra pro dia seguinte. Mas Yasmin começou a choramingar no carro e meu irmão Pedro notou que ela ainda estava com

febre.

Nesse momento vindo pra casa, senti algo diferente, contraçoes com pressao, mas nada muito forte e minha preocupaçao aumentou. Vai que engrene essas contraçoes, como parir uma bebê com a cabeça na outra??

Antes de chegar em

casa passei na clinica perto e marquei uma consulta pras 17:00. Fui na minha avó, tomar os café as 15:30 como de costume, Yasmin estava boazinha la e como eu já havia marcado fazer as unhas da mão e sombracelha, fui e Yasmin ficou na bisa. Fui pro salão e la mais contraçoezinhas.

Sai e ja busquei Yasmin pra consulta, minha mãe foi junto e foi visto que ela estava com infecçao forte de garganta e foi receitado injeçao pra ela. Passei e comprei na farmacia e fui pro pronto socorro proximo de casa pra fazerem a aplicaçao.

Fiquei naquela fila horrivel de sus pro casastro e so quando entreguei pra atendente vi que era bezetacil. Aiaiaiaia, que dó, mas se é pro bem, vamos lá.

Chegamos em casa, Yasmin dormiu e sentei pra sentir as contraçoes e contar. Isso ja eram 19:00 da noite, estavam de 15 em 15 min, mas eram mais de pressao mesmo. Yasmin acordou muito boazinha( daí digo, feliz essa bezetacil), jantou super bem e viemos pra nossa casa, pois estavamos na minha mãe. 

Tomamos banho e fomos deitar. A pressao cada vez mais forte. Yasmin dormiu umas 22:30 e fui me preparar pra dormir. Na hora de fazer xixi, o tampão saiu, meio marrom escuro e com sangramentinho. Começei a marcar o tempo das contraçoes e depois de contar umas 10, que estavam de 14 min e 8 min, durando 50 segundos mais ou menos cada uma, mandei msg pra minha doula, Patricia e ela disse que estavam irregulares e pra eu tentar dormir. Foi o que eu fiz, isso ja eram quase meia  noite.

Quando foi 3:40 da manhã, senti colica intestinal e fui ao banheiro, fiz o 02 e depois disso as contraçoes começaram a vir fortes e começei a sangrar bastante. Tentei relaxar e fui deitar, contar elas. Era muito cedo e não queria acordar ninguém a toa, nem a Pati, nem o Delso. Elas ja estavam de 5 em 5 min, durando mais de 1 munuto e era dor mesmo, suportavel, mas doiam. Toda hora eu ia ao banheiro e cada vez mais sangue, tipo menstruaçao. Quando olho o relógio, já eram 5:30 da manhã e elas já estavam de 2 em 2 min, as vezes 3. Daí lembrei que o doutor Carlos disse que seria um parto moleza, pra eu nao demorar muito pra ir pra maternidade e lembrei também, que o transito das 7:00 as 10:00 da manhã é muito intenso e que não dava pra arriscar. 

Liguei pra Pati e ela pediu pra q eu fosse o quanto antes, pra eu comer bem e nem tomar banho, ja que no da Yasmin, progrediu muito no chuveiro. Então acordei o Delso e fomos arrumar as coisas rapidinho, pois ja eram 6:00 da manhã. Pegamos os itens faltantes e não resisti tomar um banho, enquanto ele guardava tudo no carro. Na hora do banho, evitei de molhar a barriga, morrendo de medo de progredir mais e mais e mais sangue saindo. Me arrumei, peguei dois suquinhos e uma bolacha. Fui na minha mãe, pedi pra ela vir ficar com Yasmin que só dormia. Voltei aqui em casa, me despedi da minha pequena , grande agora, rsrsrsrs. Me despedi chorando, pois seria a ultima vez que a mamãe seria só dela, deu uma tristeza, mas que logo passou.

6:35 saimos de casa e no caminho mandei msg pra Pati, que ja tinha ligado pro Delso preocupada e pra fotografa que me presenteou. 

O transito ja estava fortinho e a posiçao no carro não favorecia as contraçoes. Falei com o Delso que dessa vez eu não iria dizer que poderia ter um filho por ano, como disse da Yasmin, pois as dores estavam realmente fortes, fortes igual a hora que pedi analgesia da Yasmin. Na hora do transito até falei que poderia ter uma

viatura da policia no caminho, para nos escoltar e chegarmos logo. 

A cada dor, um filminho vinha na minha cabeça, o mesmo caminho, a mesma alegria… Minha pequenininha iria nascer e que era verdade, nao teria uma bebê, mas duas!!!

Chegamos na maternidade umas 7:15, fomos fazer o internamento e pedi pro medico de plantao avaliar a situaçao.

Queria o parto na agua e pra isso teria que ter ela na suite, suite essa que eu havia ligado as 22:30 da noite anterior e estava vaga e que chegamos la, a paciente havia dado entrada 00:30. Que sorte neh? Mas diferente do que haviam dito, as outras duas suites tbm caberiam a banheira e estavam disponiveis.

Umas 7:40 chegou a Pati( doula), ainda nao tinham feito o toque, por que o medico de plantao estava numa cesarea e iria demorar um pouco. Sendo assim, ela ja ligou pro dr. Carlos que ja estava a caminho. Uns 5 min depois, o dr. de plantao chegou pra me avaliar. Fez o toque e disse que eu estava com 6 cm de dilataçao ainda. O sangramento aumentou mais ainda e as contraçoes cada vez mais doloridinhas, isso ja eram umas 8:10. Achei estranho ser so 6 cm ainda e ja esperava muitas horas pra dilatar o resto depois disso.

Fomos pro quarto preparar a banheira e o quarto pro grande momento. Uns 20 min depois dr. Carlos chegou e foi me avaliar. Então ele disse que eu estava com 8 cm :0 

Que alegria ter ouvido aquilo. Até a Pati disse pra ele: ué, mas o doutor plantonista disse que era 6cm. O dr. so respondeu que nao, estava com 8 mesmo e tudo certinho.

Depois disso liguei pra Fernanda, fotografa que me presenteou com as fotos do TP e fiquei ali me concentrando, achando posiçao pras dores, falando quando possivel com algumas amigas por

msg, enquanto eles preparavam

a banheira. Não consegui usar a bola em nenhum momento, pois me abaixar doia muito mais… Entraram as enfermeiras pra levar uns equipamentos e até brincaram, que nunca tinham visto alguem tão bem conversando como estando com 8 cm de dilataçao. Realmente estava tranquilo, forte, mas entre uma e outra ficavamos conversando e eu ali de pé, tentava requebrar o quadril apenas pras dores. 

Pati sugeriu ir pro chuveiro e foi o que fizemos, eu e o Delso, meu marido. 

No chuveiro ficamos por pouco tempo, pois a agua começou a gelar no banheiro, não esquentava mais e tivemos que sair. 

Fiquei sentada no sofa um pouco, tirei umas fotinhos para as amigas e e logo dr. entrou no quarto de novo. Ja eram umas 10:00 horas acho e ele foi fazer outro toque pra ver se tinha evoluido. Estava com os mesmos 8 cm e bem na hora que dr.  estava tirando o dedo, a bolsa rompeu, ali na maca. 

Levantei e a primeira contração que veio já veio com tudo, muito forte. Uma dor, dor essa que nao tinha sentido no TP da Yasmin e naquele momento ja percebi que mesmo nao tendo pego por completo a analgesia do TP da Yasmin, ajudou muito.

Ali mesmo ja pensei: o que eu fui inventar de querer ter parto natural?! rsrsrsrs Mas era o meu objetivo e fomos em frente. 

Entrei na banheira e ali tentei varias posiçoes, uma contraçao pior que a outra, massagem nas costas, massagem no pe da barriga, carinho do Delso, apoio das doulas… Era muito intenso aquilo e a impressão que eu tinha é que ela nao iria descer naquela posição. Então falava isso quase chorando. Perguntava quantas mais daquelas eu iria sentir e mesmo sabendo que ninguem sabia ao certo a resposta, continuava a perguntar. Sai da banheira e fui tentar alguma posiçao em pé, mas nada, tudo era desconfortavel. Dr. foi fazer outro toque e ajudar a fazer ela baixar, fiz uma força grande numa contraçao e ele disse que havia dado uma boa descida. Voltei pra banheira e la fiquei. Cada vez mais dolorida, começava a gritar em cada uma, eu queria espernear, sair dali, mas

nada faria passar aquilo, somente ela nascendo. Entao eu nao parava de dizer, por que eu inventei de querer parto natural, por que??!!! No intervalo entre uma e outra eu lembro ter pedido pro Delso que orasse por mim, orasse pra Alice nascer que eu nao aguentava mais. Eu deitadinha no peito dele, so pedia: ora amor, ora por mim. 

Entao olhei pra Pati e perguntei se aquela era a hora de pedir a analgesia, perguntei rindo, pois havia dito pra ela que não queria de jeito algum, mas que saber que ela existia foi mais forte que a primeira vontade.

Tentamos me enganar, eu enrolei por um tempo, a Pati tentando me convencer também, mas era muita dor. Doutor veio pra outro toque e aquele toque com a contraçao era terrivel. Estava com 9 cm, mas ela altinha ainda. Implorava pro dr. parar com aquilo. A cada berro meu eu me preocupava se eu podia berrar. kkkk Doutor na maior tranquilidade de sempre dizendo que sim, eu podia. No intervalo de uma e outra até faziamos algumas piadinhas, conseguia rir, mas de repente a situaçao começou a ficar critica pra mim.

Perguntava pro dr. quanto tempo mais? Ele dizia que talvez 1 hora ou mais ou poderia me surpreender com menos. Ele nao sabia, ninguem sabe, mas ouvir que faltava 10

min me motivaria, mas doutor é muito verdadeiro :) Pati disse que mais 20 contraçoes, dai brinquei que iria começar a contar entao… A verdade é que eu estava me enrolando, pq eu nao queria sentir mais nenhuma daquelas.

De repente meu mundinho mudou, fiquei quietinha, delirei ate, consegui até cochilar no intervalo, mas quando a contraçao vinha, meu Deus, não senti nenhuma se quer dessas pra Yasmin nascer, era intenso demais. Começei a rezar em pensamento, me concentrar… Começei a tremer de frio, muito frio, pois a agua estava esfriando e nao tinha mais agua quente na torneira. Me cobriram com toalhas dentro da banheira, mas o frio e tremedeira não passava.Perguntei se nao existia um remedinho de tomar que fizesse diminuir a dor?? demos risadas, mas quando vinha a contraçao eu so conseguia implorar pra que ela nascesse logo. Pedi ate pro doutor tirar ela com o forceps uma hora, kkk  

Doutor falou que o que dava pra fazer era aplicar um pouco de ocitocina, mas nao quis, pois ja que fugiria do parto natural e que iria doer mais ainda, eu preferia a analgesia mesmo. Me enrolei por

mais um tempo,fiquei muito na duvida, pois dr. disse que o tempo de esperar as enfermeiras me buscarem, subirem la pro centro obstetrico, até o anestesista me anestesiar, poderia levar mais de 30 min. Dai olhava pro Delso e perguntava o que ele achava, como sempre, a decisao é minha, eu é quem sabia. A Pati me dizia, mas Paty, vc vai se arrepender depois. Eu respondia, que eu sei que iria, mas nao aguentava mais e ja que ela não iria nascer na agua, nao queria mais sentir aquela dor. Que ali ela nao ia nascer, eu tinha certeza que ela

nao iria descer e que se fosse pra eu ter na cama do quarto, ja que a posiçao de cocoras tbm nao ia dar, eu preferia ganhar na maca la em

cima com analgesia. E foi o que aconteceu…

Pedi a analgesia, dr. foi rapidinho la avisar e eu fui levantando. A enfermeira chegou muito rapido, ja me deu a camisolinha, me secaram um pouco, tirei o top, o brinco grande, me colocaram na maca e fomos. Fui rezando o pai nosso e pedindo que nao me desse mais contraçoes, que fosse rapido ate anestesiar. Entrando no centro cirurgico o anestesista ja estava la, era 12:30, se apresentou e so pedi pra que fosse uma dose bem

fraca. Foi me fazendo as perguntas, ja me colocaram ali sentadinha, Pati ja estava comigo. Ele perguntou se eu queria esperar pra depois da proxima contraçao e eu disse que nao, que fosse logo antes que ela chegasse, pq eu nao queria sentir mais nenhuma. Achou minha espinha, disse que ela era bem tortinha e deu a analgesia. Perguntou se minhas pernas ja estavam esquentando e estavam. 

Ufa, aquilo foi uma bençao no momento pra mim. Dr. Carlos ja estava la tbm e ja pediram pra eu ficar de barriga pra cima. 

Enquanto isso, disse pra Pati que nao ia me arrepender, pois era o que eu precisava, quase dei uma gargalhada daquela dor ter sumido de mim. Abri minhas pernas e dr. disse que estava vendo os cabelinhos já. So falei: cabelinhos??? sim, bastante cabelo. A Pati tava com o espelhinho pra eu ver e de repente veio aquele coquinho de cabelo preto coroando, sem eu nem ter feito força. Mas cadê meu marido? Me preocupei que Delso ainda nao estava ali, falava chamem o Delso por favor, ele tinha ido colocar a roupa do centro cirurgico. Mas graças a Deus ele chegou e ela podia nascer.

Doutor e Pati so pediram pra eu fazer 3 forçinhas de leve. Eu com o espelho em uma mao olhando e a outra pegando na cabeçinha dela, ajudando ela sair. Tão lindo!!! Então ela veio vindo, devagarinho, sem forçar, linda a cabeçinha saiu. Dr. fez o giro, tirou a cabeçinha dela e eu terminei de tira-la, assim como no parto da Yasmin, 12:40 do dia 07 de novembro de 2013,com

40 semanas e 1 dia, nasceu com 3425 kg e 49,5, perfeita!!!

Trouxe direto pro meu colo, linda, cabelinho preto. Pedi pra ela chorar pra mim, entao ela chorou e eu chorei, amei. Marido ali do lado, meu amor, veio, me deu um

beijinho e foi cortar o cordão. Logo passei ela pro pediatra e Delso que foi acompanhar os procedimentos. 

Tive laceraçao de 1• grau e doutor fez os pontinhos, uns 5 aproximadamente, me mostrou a placenta e logo Alice voltou, com o pediatra tirando sarro de mim, dizendo que ja havia pingado o nitrato de prata, ja tinha aspirado e feito tudo o que eu queria, só que não neh :)  Ela ficou mais um pouquinho ali comigo e voltou pra pesar, medir e limpar, tudo com o Delso acompanhando. Não deram o banho nela como nosso combinado e o primeiro banhinho dela foi dado em casa.

Eu estava com soro por causa da analgesia e tive que esperar ele acabar, uns 15 min, nem isso acho. Enquanto eu aguardava com a Pati, vi um bebezinho la na frente sendo limpada no berçario e falei pra Pati, acho que conheço aquele rostinho e como mãe nao se engana, logo Delso apareceu pra confirmar que aquela era a minha pitoquinha.

Fui liberada e ja me levaram pro quarto. Ela ja me esperava com o papai, a Simone doula,  a Pati e a Fernanda.

Peguei ela e ja fui amamentar minha pequenininha que de primeira ja pegou e mamou bem

gostoso. Com menos de 24 horas ja tinhamos recebido alta e ja estavamos em casa como nossas duas lindas pequenas. 

Foi tudo lindo novamente, tudo como tinha que ser. Fui abençoada novamente com um nascimento cercado de carinho, amor e respeito. Não sinto arrependimento de ter pedido analgesia, pois realmente foi como a mão de Deus acabando com minha dor, mas me pego pensando, será que se eu tentasse mais umas forças ela não nasceria  na agua? Nao sei, ninguem sabe neh, mas foi tudo como deveria ser e ela nasceu linda, cheia de saude, uma tranquilidade de criança. Chegou pra me mostrar como é ter duas filhas, pra me mostrar como Yasmin é carinhosa e cuidadosa, pra

mostrar mais uma vez como tenho

um marido maravilhoso, pra me

fazer uma mulher ainda mais completa e feliz.

O trabalho de parto foi lindo e toda dor é recompensada com ela. Aliás, parto vicia e pensar em não

ter um terceiro filho me deixa até triste, pois esse tentaria ir ate o fim de novo pra ser natural. 

Um parto é diferente do outro, cada um com seu momento, sua intensidade, todos lindoss!!!

Amo minhas filhas e me sinto imensamente orgulhosa de ter encontrado uma equipe tao maravilhosa e ter conseguido os nascimentos que sempre quis pras minhas filhas.

Agradeço de todo o coraçao, primeiramente a Deus, meu marido, doutor Carlos Miner e Patricia pelo lindo trabalho que fizeram novamente comigo. Agradecer também o pediatra dr. Frauzemar que não fez com que minhas filhas sofressem com aspiraçao, nitrato de prata e nem nada que nao seja tao necessario e as fariam sofrer.

Agradecer a minha mãe e meu irmão por terem me dado apoio com a Yasmin quando precisei, por conta do barrigao. Agradecer a Simone pelo acompanhamento e a Fernanda pelas fotos, espero ter acrescentado de alguma forma com o trabalho de vocês.

Minha filha nasceu e ela é linda, calma, mama muito e chegou pra acrescentar ainda mais amor na minha abençoada família.

Curta e compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>